GEOTÉCNICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL

GEOTÉCNICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Category : Meio Ambiente

A geotecnia estuda o comportamento do solo e das rochas em decorrência das ações do homem. Não há construção sem um prévio estudo geotécnico
“O terreno é bom, não precisa fazer sondagem”. Você pode já ter ouvido esta frase há alguns anos, o que é totalmente descabido. É fundamental saber as características do solo, e como entender seu comportamento. E a geotecnia é essencial para esse estudo.
Na engenharia civil, o solo é o suporte das obras, além de ser utilizado em aterros compactados para os mais diversos fins. É considerado um material heterogêneo, com propriedades variáveis. Além disso, é não-linear, ou seja, suas reações às tensões, principalmente à compressão, não são variáveis, podendo afetar enormemente seu comportamento; e anisotrópico, suas propriedades e materiais que o compõem não são iguais.
Para solucionamento dos problemas referentes à construção civil, o solo é o objeto de estudo do engenheiro geotécnico. Existem vários métodos de investigação de subsolos, mas no Brasil o mais comum é a sondagem SPT, também conhecida como sondagem a percussão.
A partir da sondagem, se obtém variadas informações, como o perfil do solo metro à metro, o nível do lençol subterrâneo – fator da resistência dos solos – , e a determinação da resistência do solo às tensões.
Em posse dessas informações, o engenheiro poderá tomar decisões de projetos e sua execução mais eficientes, precisas, seguras e econômicas, como o melhor posicionamento da edificação no terreno e suas fundações, por exemplo.

Importância da geotecnia
A geotecnia é o campo da engenharia civil que estuda os solos e rochas, e como esses reagem às ações do homem. Nos últimos anos, a causa ambiental tem gerado grande preocupação e, assim, a geotecnia e todas as suas vertentes, tem ganhado cada vez mais destaque na:

Prevenção de desabamentos;
Prevenção de desmoronamentos;
Prevenção de deslizamentos;
Preservação dos lençóis freáticos;
Gerenciamento do problema do lixo;
Conter a ocupação de encostas.

Esses são alguns dos projetos que a geotecnia atua. A ideia é eliminar e minimizar essas situações de forma sustentável e segura para a população, sem degradar o meio ambiente. É essencial o estudo geotécnico de uma área, para evitar esses e muitos outros problemas.
“A geotecnia tradicional sempre trabalhou com a intervenção no meio ambiente, mas sem a preocupação específica de evitar ou remediar os problemas gerados pela ação antrópica, que é o que faz especificamente a geotecnia ambiental”, explica Fernando Marinho, professor da Escola Politécnica da USP, que acrescenta: “a área exige ação multidisciplinar. É o caso, por exemplo, da disposição de resíduos domésticos e industriais – assunto pesquisado pelas duas escolas: a atuação em conjunto com biólogos, químicos e geólogos é quase sempre necessária”.
As investigações geotécnicas que antecedem o projeto e o plano de obra, e se prolongam no período de obra e na própria operação do empreendimento, são de responsabilidade maior da Geologia de Engenharia, entendida como a área de estudo responsável pela interferência tecnológica do homem com o meio físico geológico.
A missão essencial da geotecnia é, oferecer ao projetista, o quadro completo dos fenômenos geológico-geotécnicos que podem potencialmente ser esperados da interação entre as solicitações próprias da obra que será implantada e as características geológicas (materiais e processos) dos terrenos que serão por ela afetados.
Assim, todo o esforço investigativo deve ser orientado, desde o primeiro momento, propondo, aferindo, descartando e confirmando hipóteses fenomenológicas, para que, ao final, tenha um quadro fenomenológico real.

Ao aplicar os estudos de geotecnia em suas obras, você conseguirá otimizar os custos da sua obra. Confira dicas para a Gestão Tribuária da sua obra.


× Fale Conosco Agora.